quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Uma Reflexão sobre o ensino de Geometria e Álgebra

A geometria foi constituída a partir da necessidade do homem em conhecer e mensurar o meio em que se encontrava. De acordo com Eves (2004 p. 60), a geometria babilônica está relacionada diretamente com a mensuração prática. Já no Egito, segundo Joseph (2000) a geometria surge da necessidade de calcular áreas de terrenos e volumes de silo e pirâmides.
Percebemos então, que a geometria vem exercendo um papel muito importante na sociedade desde os tempos remotos. Com isso, se torna necessário os conteúdos geométricos fazerem parte do currículo de matemática. De acordo com os PCNs (1998) através dos conceitos geométricos o aluno desenvolve um tipo especial de pensamento que lhe permite compreender, descrever e representar, de forma organizada, o mundo em que vive. (BRASIL 1998, pg. 51).
Para promover uma aprendizagem mais significativa de geometria, o professor necessita desenvolver uma prática de ensino, que leve seus alunos à construção do pensamento geométrico. Não adianta ministrar uma aula repleta de conceitos abstratos, pois isso acaba desmotivando o aluno. Cabe ao professor propor atividades interessantes, uso de materiais concretos, dentre outras estratégias didáticas que possibilitem a visualização e a formulação dos conceitos geométricos de acordo com as situações vivenciadas pelos alunos.
Na primeira aula desta disciplina, lemos e discutimos o texto “Começar pelo concreto” de Sérgio Lorenzato. Esse texto discorre um pouco sobre a importância do uso de material concreto durante o ensino-aprendizagem. De acordo com Lorenzato (2008 p.19) [...] não começar o ensino pelo concreto é ir contra a natureza humana. Quem sabe ensinar, sabe disso. Assim, o uso do material concreto pode auxiliar na visualização, reconhecimento e abstração da formas geométricas.
Na última parte da aula, discutimos outro texto: Álgebra ou Geometria: para onde pende o Pêndulo? de Antonio Miguel, Dario Fiorentini e Maria Angela Miorim. Esse texto relata um pouco sobre a oscilação entre geometria e a álgebra. Antes do Movimento da Matemática Moderna, a geometria desempenhava um papel nobre enquanto a álgebra era para os menos favorecidos, voltada para o comércio. Com a introdução da álgebra moderna, a geometria começou a ser deixada de lado por muitos professores, sendo quase foi abandonada.
Hoje em dia, ainda existem muitos professores que deixam a geometria para ser trabalhada mais ao final do semestre ou ano, consideram mais importante começar trabalhando com o ensino da álgebra. Porém sabemos que nem sempre é possível ensinar todos os conteúdos por falta de tempo, assim a geometria acaba ficando de lado.
Contudo sabemos que tanto a álgebra quanto a geometria são importantes para o desenvolvimento cognitivo do aluno. Nesse sentido, cabe ao professor saber relacionar esses dois conteúdos, ou seja, trabalhar com a álgebra usando um pouco da geometria, como por exemplo, “introduzir o conceito de produtos notáveis usando a área de quadrado”.
Portanto, o professor precisa oferecer uma aprendizagem significativa aos alunos, tanto da álgebra quanto da geometria, promovendo atividades que oportunizem os alunos a fazerem explorações, representações, investigações, construções, levando-os a participarem do processo de construção do conhecimento matemático.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Matemática. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998.

EVES, Howard. Introdução à história da matemática / tradução: Hygino H. Rodrigues. Campinas, SP: Unicamp, 2004.

GASPAR, Maria Terezinha e SUZELI, Mauro - Explorando a geometria através da história da matemática e da etnomatemática. VII Encontro Nacional de Educação Matemática, 15 a 18 de julho de 2004. Disponível em www.sbem.com.br/files/viii/pdf/07/MC10721746500.pdf. Acessado em 16/08/2011.

LORENZATO, Sergio. Para aprender matemática. SP: Associados, 2008.

2 comentários:

  1. Muito boa sua postagem. Fiquei em dúvida em relação às citações. Quando você coloca em itálico quer dizer que é uma citação direta?! Se for este o caso, use aspas para citações diretas com até três linhas e use um recuo na margem esquerda para citações com mais de três linhas.

    ResponderExcluir